Lançado apelo aos jovens para não se juntarem aos grupos terroristas

 

O contínuo recrutamento de jovens pelos grupos terroristas para engrossarem as suas fileiras na província de Cabo Delgado está a preocupar a primeira e mais antiga organização juvenil moçambicana que, no dia em que assinala 43 anos da sua criação, lança um apelo na voz de Gervásio Rufas, Secretário da OJM ao nível de um dos distritos municipais da cidade de Maputo.

«O grande desafio que se coloca para a nossa juventude moçambicana é efectivamente defender a paz, é lutar contra o terrorismo, é defender a pátria e a soberania moçambicana», afirmou Gervásio Rufas.

Por outro lado, a ministra da justiça, assuntos constitucionais e religiosos, Helena Kida, anunciou na província de Inhambane no sul do país, o início em breve de um trabalho para prover, aos deslocados dos ataques terroristas, documentos de identificação civil.

«Já está a ser feito um trabalho a nível do nosso ministério com a colaboração dos nossos parceiros de cooperação no sentido de deslocarmo-nos com brigadas móveis para efectuar o registo de nascimentos destas pessoas», realçou Helena Kida.

Dos pouco mais de 500 mil deslocados, dos ataques terroristas mais de metade estão indocumentados.


Post a Comment